Ubajara Notícias

Esse ano todo eu sofri com esse monstro’, diz jovem em carta a amiga sobre estupro em Ubajara

Esse ano todo eu sofri com esse monstro’, diz jovem em carta a amiga sobre estupro no Ceará
Adolescente afirma em mensagem que não denunciava o crime por ‘medo dele machucar’ o irmão. Suspeito é investigado.
A adolescente de 14 anos que relatou em carta a uma amiga que era estuprada pelo padrinho afirmou que sofreu abuso quando criança, e o crime voltou a se repetir durante todo o ano de 2019. A garota de Ubajara, no Ceará, disse que não denunciou o crime por medo de o padrinho machucar o irmão dela e confidenciou a uma colega. O suspeito é investigado e segue foragido.Foto: Reprodução G1

“Eu te disse naquele dia que só foi quando eu era pequena e semana passada, mais não não foi, foi esse ano todo que eu sofri com esse monstro do meu ‘padrinho’ e eu não consigo mandar ele parar por medo, medo dele machucar [nome preservado]. Esse ano todo foi sofrendo calada, sem coragem de contar para alguém, até que ainda com medo contei pra ti”, diz um trecho da carta.

“Amiga me ajuda, eu não quero mais sofrer, a única vez que eu não sofro é quando estou com minha mãe, quando estou com longe desse monstro, as únicas pessoas que sabem disso é tu e [nome preservado]. Eu te peço, por favor me ajuda, fica junto comigo, eu não quero mais isso pra minha vida. Help me please!”, suplica a garota.
[13/12 13:21] Igor Vieira: Um boletim de ocorrência foi registrado pela mãe da adolescente, e a Polícia Civil do Ceará afirma que está investigando o caso.

O delegado responsável pelo caso informou ao G1 que foi informado pelo advogado do suspeito que ele iria comparecer à delegacia de polícia para depor nesta sexta-feira (13).

‘Era um segundo pai’
Conforme a mãe, a adolescente sofria os abusos na casa do padrinho, onde era deixada por conta do trabalho dos pais. Ela descobriu a carta na bolsa da filha e denunciou após ler o conteúdo.

“Ela sempre ficou lá. Por causa das viagens, geralmente ela ficava durante toda a semana na casa deles e, na sexta-feira, eu a buscava, para ficar conosco, com o pai e o irmão dela. Eu deixava ela na casa da minha irmã. Eles eram os padrinhos dela. Ele era como se fosse o segundo pai para ela, que viu minha filha crescer.”

“Minha filha tem 14 anos, na época, tinha 13, mas é uma criança. Ela nem havia menstruado ainda. É uma menina que só ia da escola para casa e vice-versa”, acrescenta a mãe da menina.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou que um inquérito policial foi instaurado na Delegacia Municipal de Ubajara para que o caso de estupro de vulnerável seja investigado.

Fonte: G1