Ubajara Notícias

Invenções fantásticas criadas por mulheres incríveis

COMPUTADOR

Em 1944, Grace Hopper e Howard Aiken criaram em Harvard um computador que tinha o tamanho de uma sala inteira, o Mark I.

Mas não apenas isso. Ela também inventou um sistema de programação que traduz linguagem escrita para códigos de computador. E sabe o que mais? Quando você fala que rolou um bug com algum equipamento eletrônico, isso também entra na conta de Grace. É que um dia ela teve que lidar com problemas reais de insetos dentro do computador que estava montando, e o nome ficou

CERVEJA


Você vai achar que a gente andou bebendo antes de escrever isso, mas não é o caso. E sim, você leu certo, existem indicações de que antes de os alemães popularizarem a bebida que hoje faz tanto sucesso, mulheres na Mesopotâmia eram as responsáveis por fermentar a cevada e desenvolver a cerveja.

ENERGIA SOLAR

A energia solar é uma das grandes apostas da indústria energética mundial, ela é uma das principais alternativas para uma pontecial crise energética, isso tudo graças a Biofísica Maria Telkes que criou o primeiro projeto de energia solar em 1947.

VIDRO TRANSPARENTE

Katherine blodget foi a primeira cientista mulher contratado pela General Elétrons e provou que lugar de mulher é onde ela quiser, e criou o vidro transparente.

WI-FI

Achou pouco? Pois bem, transformar a internet em algo que se conecta sem fios também foi ideia de uma mulher. Foi durante a Segunda Guerra Mundial que a atriz e pesquisadora Hedy Lamarr deu os primeiros passos nas tecnologias que geraram o que hoje chamamos de WiFi

COLETE A PROVA DE BALAS


O nome dela é Stephanie Kwolek, e ela estava só tentando fazer uma fibra mais leve para os pneus automotivos. Em vez disso, criou o colete à prova de balas Kevlar, que todos os anos salva a vida de milhares de policiais, patenteado em 1966

REFRIGERADORES ELETRICOS

Por falar em geladeira, ela também foi uma criação feminina. Imagine viver no calor de tantas cidades brasileiras sem ter como resfriar e conservar os alimentos? Pois é, agradeçam à senhora Florence Parpart pela brilhante ideia que ela teve em 1914.