Ubajara Notícias

Pressão aumenta para Vovô e Leão na Série A.

Pressionados após queda de rendimento e na tabela, Enderson Moreira, no Ceará e Zé Ricardo, no Fortaleza, vivem jejum de vitórias e vão precisar de resultados no momento mais crítico da Série A, com o início da maratona JOGADA.

Ao fim da 14ª rodada, Ceará e Fortaleza estavam confortáveis na tabela da Série A, ambos na zona de classificação para a Copa Sul-Americana, o Vovô em 9º e o Leão em 12º, com nove e seis pontos de vantagem para o Z-4, respectivamente. Ali, a sensação era de que os dois representantes cearenses, restando cinco rodadas para o fim do 1º turno, terminariam a primeira parte do campeonato com uma campanha segura e uma ‘gordura’ considerável para o returno.

Mas seis rodadas depois, salvo uns recortes de bom futebol – empates heroicos fora de casa do Ceará contra Corinthians e do Leão diante do Santos – ambos abriram o turno da Série A com derrotas e somados aos resultados ruins no fim do turno, amargam jejuns (Vovô de seis jogos e Leão de três partidas), aumentando a pressão em cima de seus treinadores, o alvinegro Enderson Moreira e o leonino Zé Ricardo.

Desde o início da Série A no Ceará, Enderson Moreira tem 20 jogos e um aproveitamento de 36%, mas de apenas 11% nos últimos seis jogos. O Ceará perdeu para São Paulo, Athletico/PR, Flamengo e CSA, e empatou com Botafogo e Corinthians. “A pressão é muito mais externa do que interna. A gente está trabalhando normalmente, viemos para ganhar o jogo, jogamos para frente. Em grande parte do jogo nós controlamos as ações. Não há nenhum tipo de pressão interna, que deixe os jogadores receosos. A gente tem lutado muito. Mas é decepcionante não conseguirmos vitórias nesses jogos, porque alguns resultados poderiam ter sido diferentes. O que falta é o gol”, analisou o treinador.

Já no Leão, Zé Ricardo comandou o clube em seis jogos, com apenas 27% de aproveitamento. O Fortaleza perdeu para Inter, Fluminense e Palmeiras (todas em casa), empatando com o Bahia e Santos, e vencendo o Goiás. “Isso é o que mais nos intriga (desempenho em casa). Mas precisamos manter o equilíbrio. Acredito muito no grupo do Fortaleza. Contra Internacional, Fluminense e Palmeiras foram derrotas duras para assimilar. Contra o Palmeiras, tomamos um gol que é difícil de digerir, algo está errado. A responsabilidade é minha pelos resultados”, explicou Zé Ricardo.
Com aproveitamento baixo nos últimos jogos, a diferença para o Z-4 para apenas quatro pontos, sendo ultrapassados por Grêmio, Goiás e Vasco, estando ambos à frente apenas do CSA (16º) e dos quatro integrantes do Z-4 (Fluminense, Cruzeiro, Chapecoense e Avaí).
No mesmo período, ou seja, seis jogos, adversários diretos cresceram de rendimento, somando mais pontos: Goiás (6 pontos), Vasco (7), CSA (8), Fluminense (6) e Avaí (9).

Maratona
Se não bastasse o momento de pressão para os treinadores, eles terão que lidar no início do returno da Série A, da 2ª a 12ª rodadas com uma maratona de jogos, intercalando jogos nos meios e fins de semana, entre eles o Clássico-Rei no dia 9 de novembro, dificultando os treinos e assimilação de novos conceitos de jogo.
O atacante do Leão, Wellington Paulista, vê o lado positivo de jogos mais próximos, sem um intervalo de uma semana, como acontecia anteriormente. “O bom de quarta e domingo é se você perde no fim de semana, já pode ter uma resposta logo na quarta ou quinta. A gente até prefere porque jogamos bastante e mais descansamos do que treinamos, na verdade. Fazemos menos treino físico, que é desgastante demais pra nós. E a gente vai conversando, se entrosando ainda mais. Não tem muito o que treinar, é mais ajuste”, revelou o artilheiro do Leão.

Já o alvinegro Fabinho, acredita que o Ceará está preparado para a sequência que terá pela Série A. “O trabalho da comissão técnica e preparação física foi planejada para toda Série A, para passarmos por esta sequência de jogos no returno. Espero que a gente conquiste os resultados que esperamos”.

Próximos duelos
Assim, já no meio de semana, os dois representantes cearenses estarão em campo. Primeiro, o Ceará recebe o Cruzeiro, na quarta-feira (25), às 19h30, na Arena Castelão. “A gente tem que estar preparado para enfrentar o Cruzeiro e conquistar um resultado positivo”, disse Enderson.
Enquanto o Fortaleza joga no dia seguinte, na quinta-feira (26), às 21h30, contra o Athletico/PR, na Arena da Baixada. “Na Arena da Baixada tem uma velocidade diferente. Precisamos jogar no limite para fazer um bom jogo”, destacou Zé Ricardo.

+

Ceará e Fortaleza têm queda de rendimento na Série A e ficam próximos do Z4, com o Vovô não vencendo há seis jogos e o Leão há três, aumentando a pressão sob os treinadores por uma reação imediata. Publicado em Diário do Nordeste.