MP pede afastamento do diretor do hospital em Ubajara onde bebê caiu no chão durante parto

O Ministério Público do Ceará, por meio do promotor de Justiça da Comarca de Ubajara, Maxwell de França Barros, pediu o afastamento de um enfermeiro e do diretor do Hospital Municipal de Ubajara, Bruno Araújo, após o caso em que um bebê caiu no chão durante o parto realizado na unidade, no Norte do Ceará. O ofício foi expedido nesta quarta-feira (12).

Maria Gisele Leitão denuncia ter sofrido negligência no hospital, durante um parto natural em que o bebê dela caiu no chão, no último dia 27 de maio. Ela afirma que não foi acompanhada por médico ao dar à luz e que o enfermeiro que a atendia não acreditou que o bebê estava prestes a nascer e, por isso, não a auxiliou enquanto ela solicitava ajuda. O bebê não sofreu ferimentos graves e passa bem.

Além do afastamento dos profissionais, o MPCE também dá um prazo de 90 dias para a conclusão do procedimento administrativo instaurado sobre o caso. O órgão requer, ainda, a instauração de um procedimento policial na delegacia de Ubajara para investigar os fatos.
Sobre o pedido de afastamento do diretor do hospital, o promotor Barros considera que ele foi parcial em suas declarações sobre o caso dadas ao G1na segunda-feira (10), onde ele contesta a versão de Gisele.

“Como haverá um processo disciplinar interno para apurar o caso sobre a atuação do enfermeiro, é necessário que tenhamos um diretor interino imparcial acompanhando a investigação e a lisura dos trabalhos”, esclareceu.