Envolvidos na morte de três mulheres decapitadas em mangue no Ceará vão a júri popular

Mulheres foram torturadas e decapitadas em área de mangue na Grande Fortaleza — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

Os cinco acusados de participar da morte de três mulheres em um manguezal, no Bairro Vila Velha, em Fortaleza, no dia 2 de março de 2018, vão a júri popular nesta quarta-feira (27). A sessão ocorrerá no 1º Salão do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, na capital cearense.

As vítimas identificadas como Nara Aline Mota, de 23 anos, Darcyelle Ancelmo de Alencar, 31 anos e Ingrid Teixeira Ferreira, 22 anos, foram torturadas e decapitadas. A motivação do crime, de acordo com a Justiça é que as mulheres faziam parte da facção criminosa Comando Vermelho (CV), rival da facção Guardiões do Estado (GDE), da qual os acusados eram integrantes. O crime foi filmado e teve vídeo compartilhado em redes sociais.

Réus

Os réus, Francisco Robson de Souza Gomes, Bruno Araújo de Oliveira, Jeilson Lopes Pires, Júlio César Clemente da Silva e Rogério Araújo de Freitas serão julgados por três homicídios triplamente qualificados, por motivo torpe, meio cruel e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Além de destruição e ocultação dos cadáveres, participação em organização criminosa, porte ilegal de arma de fogo e tortura.

O réu Francisco Robson, que se encontra preso na Penitenciária Federal de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, será julgado por videoconferência.

O juiz Victor Nunes Barroso, titular da 3ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza, julgará o caso que tem defesa de Sulamita Teixeira e acusação de Joseana França.