Ubajara Notícias

Prefeitura é alvo de críticas e recomendação do Ministério Público após o remanejamento de alunos em Ubajara

Resultado de imagem para secretaria de educação ubajara
A prefeitura não envia esclarecimentos sobre nenhum assunto publicado no site para a população Ubajarense (Foto: Reprodução)

O remanejamento de alunos feito pela Prefeitura de Ubajara (CE) no início do ano letivo foi alvo de uma recomendação do ministério público. A denúncia feita pelos pais dos alunos alega que algumas salas das Escolas Joaninha Perdigão e Lúcia Soares foram fechadas, acarretando um prejuízo na educação das crianças pois estão sem estudar até o momento.

De acordo com a recomendação, os alunos do 6º e 7º ano da escola Lúcia Soares foram remanejados para a Joaninha Perdigão, e os estudantes do 8º e 9º desta foram remanejados para a Lúcia Soares, o que ocasiona um deslocamento desnecessário dos alunos das suas comunidades.

O MPCE recomendou que o projeto de reorganização da rede de ensino municipal seja adiado, principalmente daquelas localizadas na zona rural, que elabore um projeto que justifique tais mudanças e que as aulas retomem nas devidas comunidades afetas e outras que estão na mesma situação no prazo de 48h.

Situação do Sertão

A vereadora Robenilta também entregou ao MPCE um documento sobre o remanejamento no Sertão de Ubajara (Foto: Carlos Camelo)

A vereadora Robenilta Carneiro em entrevista ao Ubajara Notícias informou que os alunos de 6 a 10 anos dos Sítios Tamundé, Ipuzinho, Albino foram transferidos para a Chapada e o Fornalhão para Araticum, prejudicando os estudantes. “Os transportes utilizados para a locomoção dos alunos não apresentam segurança e com a superlotação, todos os pais ficam preocupados. As crianças terão que acordar às 6h para irem a estrada aguardar a condução, sendo que está volta somente após o meio dia, pois o ônibus para em diversas localidades da zona rural”, afirma.

Ainda segundo a parlamentar, as salas ficam lotadas e sem condições do professor obter uma educação de qualidade.

Sem respostas

Entramos em contato com a prefeitura municipal, mas novamente não obtivemos nenhum esclarecimento para a população de Ubajara.