Ubajara Notícias

Homem encontra bolsa com 600 reais e devolve à dona

elsa girão
Elsa Girão, proprietária da bolsa, conta que qualquer um poderia ter pego e ficado com os bens ( Foto: Reprodução/ Elsa Girão )

Diante de um cenário de violência e hostilidade, corrupção e intolerância na sociedade complexa que vivemos hoje, quando pequenos atos de bondade renovam a esperança nas pessoas é uma surpresa muito bem-vinda. “Nunca tinha acontecido nada assim comigo”, disse a comerciante Elsa Girão (61) sobre o caso curioso de honestidade que aconteceu com ela na última sexta-feira (19), no bairro Benfica, em Fortaleza.

Por volta das 14 horas, dona Elsa esqueceu uma das chaves de casa e foi à sua vizinha para conferir se sua filha havia deixado lá. Como não encontrou, a comerciante resolve ir para a casa de sua segunda filha, Karoline, puxando o celular para avisá-la e deixando a bolsa em cima do capô do carro. Distraída pela ligação, Elsa parte para a casa de sua filha sem se dar conta que a bolsa continuava fora do veículo em movimento.

“(A bolsa) passou muito tempo em cima desse carro, saí, fiz várias curvas e andei a Marechal Deodoro toda até dar meio quarteirão para dobrar na Domingos Olímpio”, reflete dona Elsa, que calcula que a bolsa aguentou por cerca de 2km até cair próxima a um bar na Rua Marechal Deodoro. Foi aí que um senhor em torno de 50 anos viu o objeto cair, correu para pegá-lo e alcançar a dona.

“Ele me disse que gritou muito por mim, correu cerca 10 metros ou mais e pegou a bolsa e pensou: ‘como que eu vou entregar pra essa mulher?'”, conta.

“Para você ver como ele foi tão educado, inteligente e honesto, sem saber como me encontrar, ele abriu a bolsa e encontrou um recibo de uma compra que eu tinha feito, ligou para a loja, explicou a história para a moça, conseguiu meu número e me ligou”. Ela diz que “estava tão nervosa” que, desde a ligação do senhor, não lembra nem o caminho que fez até chegar ao bar, e, chegando lá, não conseguiu nem gravar o nome do homem ou pegar seu telefone.

O conteúdo da bolsa estava intacto. Os R$ 600,00 do troco da compra que serviu de referência para encontrar Elsa, os cartões de crédito e os documentos. Ao perguntar ao senhor se ele queria algo em troca, a resposta foi veemente: “ele falou ‘de jeito nenhum, não quero nada, nada'”.

Emocionada com a improbabilidade do acontecido, Elsa confessa: “Ainda estou me tremendo”, ri. “Eu nem sequer abri a bolsa porque sabia que ele não tinha mexido. Fiquei muito, muito grata, fiquei feliz que hoje em dia ainda existem no mundo pessoas assim, de boa índole“.

Karol, a filha, resume a sensação: “ficamos realmente impressionados, uma história interessante de bondade”, que “graças a Deus teve um final feliz“, completa dona Elsa.