Ubajara Notícias

Com cara de Libertadores! Botafogo luta, sua, mas vence o Estudiantes

Rodrigo Pimpão fez o gol que sacramentou a difícil vitória do Botafogo nesta terça-feira (Satiro Sodré/SSPress)

Nem sempre a disposição e a aparente superioridade técnica significam um jogo bonito. Emocionante, tensa, foi. Mas a estreia do Botafogo na fase de grupos da Copa Libertadores foi com uma suadíssima vitória sobre o Estudiantes (ARG), por 2 a 1, na noite desta terça-feira, no Estádio Nilton Santos. Roger e Rodrigo Pimpão marcaram. Mês que vem, o rival é o Atlético Nacional (COL), atual campeão.

Apesar do clima de festa, do otimismo e da volúpia para cima do time argentino, o Botafogo não jogava bem. Nenhum dos times finalizou nos primeiros 15 minutos. Mas daí até os 20, a equipe de La Plata acertou dois chutes. O mais perigoso de Rodríguez, que passou rente à trave esquerda.

O Glorioso trocava passes, lançava, mas tinha muita dificuldade de achar espaço perto da área. Era um jogo duro. Aos 24 minutos, Otero arrancou livre e Gatito Fernández fez grande defesa.

Mas o Botafogo não desistiu. Aos 31, Camilo cruzou e Carli cabeceou com perigo para Andújar. Dois minutos depois, o lado acrobático do Alvinegro voltou a aparecer. Marcelo cruzou, Bruno Silva, de voleio, mandou para a área, e Roger, de bicicleta (ou meia-bicicleta, como queiram), guardou. Aos 39, Damonte, de cabeça, mandou voltou a assustar os presentes.

Na segunda etapa, o Glorioso voltou melhor, mais leve. Mas mesmo assim tinha dificuldade para gerar perigo. Aos 13 minutos, Bruno Silva testou no travessão a bola, após uma cobrança de falta de Camilo. O volante, contudo, estava impedido. Aos 16, a barreira andou e atrasou na cobrança de falta de Otero. Também pudera. Quando cobrou, ele guardou: 1 a 1.

O jogo estava enroscado. As divididas, fortes. Faltava inspiração, então as tentativas seriam na velocidade. Primeiro, Sassá entrou. E foi ele quem, aos 33 minutos, fez a jogada pela esquerda que Camilo desperdiçou, mas Pimpão, não. O chute no cantinho foi inapelável. Três minutos depois, Otero – sempre ele – arrancava sozinho, mas Carli interveio para impedir o pior.

Na reta final do jogo, as alterações do Estudiantes não tiveram efeito. O Botafogo quem teve gol anulado e outros contragolpes, mas sem ampliar o marcador. A vitória ficou no Rio de Janeiro. A vitória foi preta e branca.