Sejus inaugura sala de incentivo à amamentação em presídio feminino

Resultado de imagem para presidio amamatençãoO presídio Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa inaugura uma sala de incentivo à amamentação e recebe novos equipamentos para atenção à saúde das detentas gestantes e seus filhos. A inauguração dos espaços ocorre em evento que celebra o Dia da Mulher, nesta quarta-feira (8), com a participação da secretária da Justiça e Cidadania do Estado, Socorro França.

Conforme a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), a sala de incentivo à amamentação, localizada no interior da Creche Irmã Marta, é resultado de uma parceria com a Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC), da Universidade Federal do Ceará. A sala foi ambientada para estimular a o aleitamento materno entre os bebês filhos das internas do presídio e deve, ainda, servir como incentivo à doação do leite materno para a MEAC.

O espaço foi adaptado seguindo os padrões da vigilância sanitária. A maternidade também realizou treinamento com enfermeiras e técnicas de enfermagem da unidade prisional para fazer o manuseio dos equipamentos instalados.

No módulo de saúde, a sala de atendimento ginecológico ganhou novos equipamentos que permitirão melhor assistência à saúde da mulher, esteja ela em gestação ou não. São aparelhos de ultrassom, mesa ginecológica, cadeira de rodas, detector de batimentos fetais e estetoscópio infantil, entre outros.

O aparelhamento materno-infantil é fruto de um convênio com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e, além do presídio feminino, ocorrerá nas cadeias de Juazeiro do Norte e Sobral. Para as três unidades beneficiadas, houve um investimento de R$ 224 mil dos governos federal e estadual.

Para celebrar a data, a Sejus também certificará mulheres que participaram de cursos de capacitação profissional ao longo de 2016. Foram 135 mulheres que participaram dos cursos realizados, frutos de parceria com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social.

Também serão entregues os certificados de remição de pena pela leitura daquelas que participam do projeto Livro Aberto, que a cada livro lido abate quatro dias da pena, além da carteira de artesanato das 30 internas que submeteram à prova da CeArt. Agora, com a carteira de artesã profissional, elas poderão comercializar seus produtos em todos os pontos de venda da CeArt.

“O dia 8 de março é uma data para lembrarmos nossa luta permanente por uma sociedade mais justa para as mulheres. No presídio feminino, tentamos diariamente ofertar melhores condições de vida para as internas e para seus filhos que nascem ali dentro, pois acreditamos que esse cuidado será determinante no futuro de todos”, destacou a secretária Socorro França.

G1