Ubajara Notícias

Somente 8% dos animais apreendidos em estradas do Ceará são resgatados pelos seus donos

jumentos3-560x420

 

As estradas já trazem perigos aos motoristas. Com animais esse percentual de perigo aumenta ainda mais. Com tanta incidência de “intrusos” nas estradas, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE) tem uma fazenda localizada em Santa Quitéria, a 220 quilômetros de Fortaleza, que abriga jumentos, bois, vacas e outros animais que surgem nas estradas e podem causar acidentes. Atualmente, a fazenda possui 2.200 animais. E pouquíssimos deles são resgatados.

Um dos motivos para esse resgate escasso é o preço, e chega a ser mais caro do que comprar outro animal. Quem confirma é o gerente do núcleo regional do Detran, João Carlos Macedo.

“Com certeza o valor da multa é alta, e isso é uma das principais explicações para o resgate ser pouco. Além disso, o preço do animal às vezes é mais barato que a multa. Um carneiro pode custar até R$ 100 e a multa é maior que isso”, afirmou.

Entre os jumentos, que são os animais mais apreendidos nas estradas, a situação ainda é mais complicada. “Outro jumento é possível conseguir até de graça, imagina pagar para resgatar o animal. Infelizmente, o jumento ficou realmente mais abandonado, muitas pessoas ainda têm por questão de afinidade, mas ele quase não é resgatado”, comenta.

Contudo, João Carlos defende a multa estabelecida. “Acredito que esse valor deve existir, porque mais animais seria abandonados e ficariam vagando pelas estradas. Com essa multa, o dono pode ter uma conscientização e responsabilidade maior na hora de cuidar do seu animal”, acredita.

A fazenda tem 500 hectares, possui 3 açudes, um veterinário e 15 pessoas trabalhando no local. Para o gerente do núcleo, esse trabalho é uma proteção a vida de quem utiliza as estradas.

Tribuna do Ceará