Ubajara Notícias

Quantidade de cédulas falsas apreendidas quase triplica no Ceará

dinheiro falso
As cédulas de valores mais altos são o alvo preferido dos falsificadores, sobretudo as da chamada segunda família do real (Foto: JL Rosa)

Um total de 23.260 cédulas falsificadas foram apreendidas pelo Banco Central (BC) de janeiro a novembro de 2016 no Ceará. O número representa um aumento de 175%, ou seja, quase o triplo em relação ao registrado em todo o ano de 2015 (8.447).

A quantidade dos primeiros 11 meses de 2016 representa um montante de R$ 2,1 milhões, o que representa um crescimento de 225% sobre todo o valor de falsificações do ano passado (645,3 mil).
A autarquia ressalta que, na contramão do resultado cearense, os índices de falsificação diminuíram em todo o Brasil, no comparativo entre os 11 primeiros meses de 2016 e total de 2015. Neste ano foram 414,9 mil cédulas falsas, queda de 13% em relação às 474 mil apreendidas no ano passado.
“Algum crescimento pontual, como o mencionado no estado do Ceará, pode ocorrer em determinado momento, possivelmente devido a ações de grupos criminosos locais, e tende a diminuir ao longo do tempo em função do trabalho de combate levado a efeito pela Polícia Federal”, disse o BC, em nota enviada por meio de assessoria de imprensa.
O Estado foi o quinto do País onde o BC mais apreendeu notas falsas de janeiro a novembro deste ano. São Paulo lidera o ranking, com 133.625 notas falsas, seguido por Rio de Janeiro (46.511),  Minas Gerais (46.252) e Paraná (24.998).Os três estados com os menores índices foram Roraima (165), Acre (514) e Amapá (519).
Notas mais falsificadas
As cédulas de valores mais altos são o alvo preferido dos falsificadores, sobretudo as da chamada segunda família do real, que começaram a circular em 2010 justamente para dificultar as fraudes. Nos primeiros onze meses deste ano, foram 20,9 mil notas de R$ 100 retidas pelo BC no Ceará, sendo 20,5 mil da segunda família e apenas 421 da primeira família do real.
Em seguira, figuram no ranking dos tipos de notas mais falsificadas neste ano as de R$ 50 (1,6 mil cédulas) e R$ 20 (360). As céduldas menos fraudadas foram as de R$ 2 (10).
Ações de combate 
O Banco Central disse, via assessoria de imprensa, que  “tem promovido continuamente campanhas de divulgação sobre os elementos de segurança das cédulas do Real. No ano de 2016, com a realização dos Jogos Olímpicos no Brasil, a campanha de divulgação teve como público-alvo prioritário os turistas que vieram ao país para acompanhar o evento, e que, por desconhecerem as características das cédulas brasileiras, estariam mais sujeitos a receber cédulas falsas”.
A autarquia ressaltou  ainda que a investigação e combate ao crime de falsificação de céduldas ficam a cargo do Departamento da Polícia Federal (DPF). “Desde 2006, o Banco Central mantém um convênio com o DPF para troca de informações e dados sobre falsificações. Esse convênio tem-se mostrado bastante proveitoso, tendo contribuído para a deflagração de diversas operações exitosas do DPF”, disse o banco.
Como identificar uma cédula falsa?
O Banco Central possui uma lista com as perguntas mais frequentes para orientar sobre dinheiro suspeito. Além disso, o site da instituição mostra os elementos de segurança das notas. O cidadão pode ainda fazer o download de um aplicativo gratuito que ajuda o cidadão a reconhecer esses elementos.
Diário do Nordeste