Ubajara Notícias

Celular é o principal meio de acesso à internet em lares do Ceará, diz IBGE

Os serviços de rastreamento de smartphones funcionam bem desde que a pessoa tenha uma boa conexão de internet móvel ou wi-fi (Foto: One Touch Response/Divulgação)

O celular já é o principal meio de acesso à internet no Ceará. Das 1,1 milhão de moradias no Ceará com acesso à navegação on-line, em 94% foram detectados celulares com internet móvel; 15,6% em tablets; e 58% em micropontudores.

No estado, 60% dos domicílios não tiveram acesso à internet em 2015; em 2012, esse índice era 87%. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2015 (PNAD) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (22) mostra ainda que a televisão segue como o principal de meio de comunicação nos lares do Ceará e de todo o Brasil, com alcance de 96,7% dos lares do estado.

A média no Ceará está abaixo da nacional, que tem 60% dos lares com acesso à internet. Em 2014, mais da metade dos domicílios passaram a ter acesso à Internet na média nacional, saindo de 48,0%, em 2013, para 54,9%, naquele ano, o equivalente a 36,8 milhões de domicílios.

Em 2015, a expansão continuou ocorrendo, ao alcançar 57,8%, correspondente a 39,3 milhões de domicílios. No Ceará, o crescimento foi proporcionalmente mais rápido, aumentando em 27 pontos percentuais o número de casas com acesso à internet.

De acordo com o estudo do IBGE, em 2015, a utilização da internet foi maior entre as pessoas economicamente ativas (64,5%) do que entre as não economicamente ativas (47,1%), o que pode estar relacionado à posse do equipamento de acesso por grupos de idade, “uma vez que os mais idosos tendem a pertencer ao contingente de pessoas não economicamente ativas e foram, também, os que registraram menor utilização da Internet”.

Tanto para o conjunto de pessoas economicamente ativas quanto para aquelas não  economicamente ativas, o percentual das que possuíam telefone móvel celular para uso pessoal vem aumentando a cada.

Entre as pessoas economicamente ativas, passou de 43,8%, em 2005, para 63,4%, em 2008, alcançando 87,4% em 2015. Entre as pessoas não economicamente ativas, essa proporção foi de 24,3%, em 2005, passando para 38,0%, em 2008, e 64,9% em 2015.

G1 CE