Ubajara Notícias

Mãe se desespera ao ver linha de pipa enrolada em filha: ‘Muito preocupada’

Menina de quatro anos ficou com marca no pescoço (Foto: Cibele Andrade/Arquivo Pessoal)

Uma criança de quatro anos foi atingida no pescoço por uma linha de pipa enquanto andava de bicicleta dentro do próprio prédio onde mora, em Santos, no litoral de São Paulo. A mãe da garota, que estava perto da filha no momento do acidente e conseguiu retirar o fio, alerta para o perigo das chamadas “linhas chilenas”, uma espécie de linha de pipa que corta quatro vezes mais que o “cerol”. A “linha chilena” é preparada com quartzo moído e óxido de alumínio e tem venda proibida no país.

 

O episódio aconteceu na tarde do último sábado (17), no bairro do Macuco. Cibele Silva Rodrigues de Andrada conta que brincava com os filhos no quintal do prédio quando viu a pequena Alice Stela, de quatro anos, enroscada em um fio e com a mão no pescoço.

Linha Chilena corta quatro vezes mais que cerol (Foto: Cibele Andrade/Arquivo Pessoal)

“Por incrível que pareça foi dentro do meu prédio. Minha filha estava andando de bicicleta quando percebi ela enroscada em algo e tentando se soltar. Cheguei mais perto e vi que estava com linha em volta do pescoço e, assim que tentei soltá-la, já senti a grossura da linha. Tirei o fio do pescoço dela e percebi que havia uma pipa presa na janela de um apartamento do segundo andar”, descreve Cibele.

A mãe disse que, mesmo após ter socorrido a filha, pensou que algo pior poderia ter acontecido à garota, por isso, ela deixa um alerta aos pais, principalmente na época de férias escolares, quando as crianças costumam ficar mais à vontade nas ruas ou mesmo nos prédios.

“Graças a Deus não chegou a cortar, nem sair sangue, mas hoje (domingo – um dia depois) está com uma casquinha. Guardei a linha, porque no começo pensei que era cerol, mas descobri que é uma linha chilena, que corta muito mais que cerol. Minha filha tem quatro anos e ainda anda de bicicleta de rodinha. Fiquei imaginando se ela estivesse mais rápido ou eu não estivesse lá para acudi-la, poderia ter cortado sério. Fiquei muito preocupada, porque essa linha está sendo vendida livremente”, alerta.