Ubajara Notícias

Vigilante apontado como serial killer enfrenta o 19º júri popular em Goiânia

Assessora parlamentar Ana Maria Victor Duarte é assassinada em frente a lanchonete em Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

O vigilante apontado como serial killer de Goiânia, Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 28 anos, vai a júri popular nesta segunda-feira (7) pela morte da assessora parlamentar Ana Maria Victor Duarte, de 26 anos. Ela foi morta com um tiro quando estava em frente a uma lanchonete, na capital, em março de 2014.

A sessão deve começar às 8h30, no 1º Tribunal do Júri de Goiânia. O juiz Jesseir Coelho de Alcântara é o presidente do júri.  A decisão de pronúncia foi proferida no dia 16 setembro do ano passado. A defesa do réu entrou com um recurso, que foi negado pelo Tribunal de Justiça de Goiás, que manteve a decisão.

A assessora parlamentar foi baleada no dia 14 de março de 2014 em frente a uma lanchonete do Setor Bela Vista, região sul da capital. De acordo com a Polícia Militar, ela estava na companhia do noivo e de uma amiga em frente quando um homem deu voz de assalto. Ele pediu o celular do homem, que entregou.  Depois, pediu o da vítima, mas ela disse que não estava com ele.

Logo em seguida, a mulher foi baleada. O suspeito fugiu sem levar nada. A Polícia Civil chegou a divulgar um retrato falado do suspeito e a informar que ele seguiu a assessora da residência dela até a lanchonete.

Depoimentos
No dia 17 de março de 2014 o noivo da vítima prestou depoimento à polícia. Alegando estar abalado, ele não conversou com a imprensa, mas disse ao pai da vítima que a arma do criminoso falhou duas vezes antes de Ana Maria ser atingida. Até então, a polícia acreditava que a revólver tinha falhado apenas uma vez.

Pai da jovem, o promotor de Justiça aposentado Uigvan Pereira Duarte relatou que o noivo da filha contou com detalhes como tudo ocorreu.

“Chegou esse rapaz que desceu de uma moto e falou para eles: ‘cadê o celular de vocês?’ Ele [o noivo] estava com o celular e a carteira em cima da mesa, a colega da Ana Maria também. Mostraram o celular e tudo e [o assaltante] procurou para a Ana Maria: ‘e o seu celular?’. Ela com a boca cheia, porque estava comendo sanduíche falou: ‘eu não tenho celular’. Ele atirou nela”, afirmou.

Segundo o noivo, o  revólver falhou duas vezes. “Ele olhou no revólver e voltou a atirar bem no coração dela. Ela já encostou na cadeira e o namorado acudindo, mas ela já estava falecendo. Não teve como”, complementou o Uigvan na época.

 Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 28 anos, apontado como o serial killer de Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)
Tiago Henrique Gomes da Rocha enfrenta o 19º júri popular (Foto: Vitor Santana/G1)

Condenações
Preso desde outubro de 2014, Tiago Henrique ficou conhecido como o serial killer de Goiânia por ser apontado como responsável por mais de 30 assassinatos. No último dia 18 de outubro, ele teve sua 17ª condenação por homicídio.

O vigilante também já foi condenado pela Justiça a 12 anos e 4 meses de prisão em regime fechado por ter assaltado duas vezes a mesma agência lotérica do Setor Central, na capital goiana. Juntas, as penas de Tiago Henrique somam 403 anos e 10 meses de prisão.

No último dia 26 de outubro o vigilante foi absolvido pela primeira vez. Ele era acusado de matar Edimila Ferreira Borges, de 18 anos. De acordo com a sentença, o próprio Ministério Público requereu a absolvição dele alegando falta de provas que comprovassem que Tiago fosse o autor do crime.

G1