Ubajara Notícias

Governo diz que errou e mantém Enem ‘adiado’ em escola do Distrito Federal

Resultado de imagem para enem
Foto: Reprodução

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foi realizado em uma escola no Distrito Federal que havia sido incluída na manhã deste sábado (4) na lista do Ministério da Educação de locais em que a prova seria adiada para dezembro.

Procurado pela reportagem, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) disse que houve um erro no envio da mensagem aos 159 estudantes inscritos no Centro de Ensino Médio Ave Branca (Cemab), em Taguatinga.

Além do aviso, a escola entrou na relação oficial divulgada pelo Inep de lugares em que o Enem não seria aplicado por causa das ocupações por estudantes.

Segundo o governo, quem compareceu ao local e fez a prova terá o teste validado. Já os que não foram em razão da mensagem farão o exame nos dias 3 e 4 de dezembro.

A estudante Maria Luiza Menezes, 17, por exemplo, recebeu uma mensagem às 11h16, menos de duas horas antes do início da prova, marcada para as 13h, avisando que a o teste teria sido remanejado para dezembro devido à ocupação do local.

Dizia o aviso: “Enem adiado para 3 e 4 de dezembro devido ocupação do seu local por manifestantes. O novo local será divulgado na página do participante”.

Ela vem se preparando há três anos para o Enem. Desde que ingressou no ensino médio, a família reuniu economias e matriculou a jovem em uma das escolas mais caras do Distrito Federal para conseguisse realizar o sonho de cursar medicina.

Sullen Menezes, mãe da estudante, aconselhou a filha a ficar em casa já que, além da mensagem via telefone celular, o site do Inep também dizia que o teste havia sido suspenso no local.

Ao chegar à escola, no entanto, Maria Luiza foi surpreendida com a notícia de que a prova seria mesmo realizada.

“Vim para ter certeza de que não teria o Enem e quando cheguei aqui soube que teria. Essa confusão já me atrapalhou, fiquei nervosa com toda a situação”, disse Maria Luiza.

O mesmo aconteceu com a maior parte dos alunos contatados pela reportagem. Fiscais do exame escalados para trabalhar no Cemab afirmaram que nunca existiu a possibilidade de o Enem ser adiado no local, que chegou a ser ocupado até o começo da semana passada por manifestantes.

Outra estudante que recebeu o comunicado foi Abigail Oliveira, 18, que faz o Enem pela terceira vez e pretende cursar Arquitetura e Urbanismo na UnB (Universidade de Brasília).

“Essa semana foi terrível. Segunda-feira a escola ainda estava ocupada, na terça de manhã desocupou. Assisti à entrevista do pessoal do Inep falando que haveria provas nas escolas desocupadas até terça e nesta manhã chega a mensagem cancelando”, disse ela.

Diário do Nordeste