Ubajara Notícias

Professores da UVA suspendem greve após cinco meses de paralisação

Resultado de imagem para Uva sobralOs professores da Universidade Vale do Acaraú (UVA) em Sobral, decidiram suspender a greve da categoria em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 25, após cinco meses de paralisação. Foram 96 votos a favor da suspensão, 15 em prol da continuidade e três abstenções.

O termo de compromisso do governador Camilo Santana com o movimento sindical e reitorias das Universidades estaduais do Ceará foi apresentado durante a assembleia para estudantes e professores presentes no auditório do Centro de Ciências Humanas (CCH).

Em relação ao reajuste no salário de professores efetivos, a data base foi mantida para janeiro e o percentual e forma ainda serão definidos de acordo com a inflação em 2017.

“Foi votado à suspensão da greve, mas vamos continuar em estado de mobilização, até porque está em risco a própria sobrevivência da nossa Universidade. A nossa luta é exatamente para trazer não só mais benefícios, mas também a garantia de direitos da nossa categoria. Temos que mobilizar também os alunos, pois eles têm que entender que nós não conquistamos nossa reposição inflacionária. Quem conquistou e quem levou mais vantagens nesse processo foram os estudantes”, destaca a professora e presidenta do Sindiuva, Silvia Monteiro.

Entre os pontos que o sindicato considera avanço e que foram “fundamentais” para a suspensão da greve, segundo Silvia Monteiro, estão a garantia do recurso anual para o funcionamento do restaurante universitário e da residência universitária, reforma na infraestrutura do CCH e construção de novas salas de aulas e gabinetes para professores recém-nomeados, além da complementação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) dos Servidores.

O Sindiuva apresentou as propostas e em seguida deu a palavra para professores que se posicionaram contra e a favor da continuidade da greve.

“Não é mais por salário e infraestrutura, e sim pela sobrevivência das universidades estaduais”, disse o professor Agenor Soares.

Em contrapartida o professor José Lins indagou: “Greve é um instrumento de luta, mas não é o único”.

Após a divulgação do resultado sobre a suspensão da greve, o sindicato realizou uma votação sobre a paralisação geral convocada pelas centrais sindicais que acontece em todo o país no dia 9 de novembro.  A maioria dos professores votou a favor.

A reunião para decidir quando retornam as aulas acontece na tarde desta terça-feira, 25.

Reportagem: Thais Menezes
Sobral Portal de Notícias