Ubajara Notícias

Outubro Rosa: A investigação do câncer de mama leva no máximo 24 horas

Foto: Reprodução

Desde a década de 90, a sociedade e as instituições mundiais abraçam a campanha Outubro Rosa, criada nos EUA com o intuito de conscientizar as pessoas sobre o câncer de mama. Essas iniciativas são positivas diante de um cenário preocupante: a estimativa do INCA é que em 2016 mais de 57 mil mulheres receberão a notícia de que estão com câncer de mama. E, neste ano, o ideal da campanha Outubro Rosa é conscientizar a importância de ir além do autoexame, atualmente colocado como prevenção secundária, e valorizar a realização da mamografia.

O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres do Brasil e do mundo, a doença corresponde a cerca de 25% dos casos de câncer diagnosticados em mulheres todos os anos, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Geralmente percebido em fases iniciais, o câncer de mama se manifesta no corpo principalmente através do nódulo, fixo e quase sempre indolor. Mas outros sinais da doença podem ser notados, como pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito; pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço; e saída de líquido anormal das mamas. Tais sintomas devem ser investigados, no entanto, também podem estar relacionados a doenças benignas da mama.

Quando se trata de saúde, esperar – principalmente para um diagnóstico tão complexo -não é a melhor opção. Atualmente existe um método para agilizar a investigação do câncer de mama disponibilizado pelo Centro de Oncologia e Hematologia do Hospital Israelita Albert Einstein, a Investigação Rápida – Câncer de Mama permite consultas e exames em um único local e entrega os resultados em uma consulta final com um mastologista em até 24 horas.

Este modelo de investigação é prático e preciso. Veja como funciona:

Foto: Reprodução

Para realizar essa investigação, que é exclusiva no Brasil, é necessário fazer o agendamento pelo telefone 2151-1233 – Opção 5. Esse serviço só está disponível para paciente particular.

MSN