Ubajara Notícias

Rede de saúde do Ceará recebe R$ 18,7 milhões

Resultado de imagem para Dinheiro na saúde
Barbalha.
A saúde pública cearense receberá importante aporte financeiro destinado pelo Ministério da Saúde para ampliação dos atendimentos nas UPAs e entidades filantrópicas. As portarias de habilitação dos serviços foram assinadas ontem, em Fortaleza, pela Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Ao todo serão destinados R$ 18,7 mi, com maior montante da verba para o Interior.

A destinação dos recursos possibilitará, segundo a secretária Gerlane Baccarin a habilitação de sete entidades filantrópicas, incluindo hospitais e santas casas, com R$ 11,5 mi anuais; e de três UPAs, com custeio de R$ 7,2 mi por ano. Também serão enviados R$ 272 mil em emenda para entidade assistencial de saúde.

Das três UPAs, duas estão na Capital (R$ 6 mi), e uma em Jijoca de Jericoacora (R$ 1,2 mi anuais). Das setes entidades filantrópicas, quatro estão no Cariri, região com maior destinação, quase R$ 10 mi/ano.

Cariri

O hospital e maternidade São Francisco de Assis, em Crato, receberá R$ 2,4 mi. Em Barbalha, são três: o Hospital do Coração do Cariri, com mais de R$ 105 mil, para o serviço de terapia nutricional enteral e parenteral; e os hospitais São Vicente de Paulo e Santo Antônio, com mais de R$ 7 mi para ampliação do serviço de urgência e emergência. “A verba destinada para a Rede de Urgência e Emergência nos possibilitará a melhoria no atendimento da população da Macro-Cariri, em especial em nível de Pronto Socorro Adulto e Infantil, bem como nos serviços de apoio: UTI Adulto, Pediátrica e Neonatal, além do Serviço Materno Infantil. Poderemos dispensar aos que necessitam um atendimento diferenciado e com base na política de humanização preconizada pelo Ministério da Saúde”, declarou o Assessor Jurídico do Hospital São Vicente, Amilca Leite Sá Barreto.

Completam a lista das unidades beneficiadas o Hospital São Lucas, em Crateús, com mais de R$ 1,5 mi; o Grupo de Educação e Estudos Oncológicos, em Fortaleza, com cerca de R$ 8 mil; e o Hospital e Maternidade Jesus Maria José, de Quixadá, com verba de R$ 240 mil para melhoria na Casa do Gestante, Bebe e Puerpera (CGBP).

tab

Diário do Nordeste