Ubajara Notícias

Mortes violentas no CE têm 13º mês de queda

Policiais militares do Ceará foram homenageados pelo governador pelos serviços prestados durante as Olimpíadas e Paralimpíadas, no Rio ( Foto: Yago Albuquerque )

A redução dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que englobam homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, chegou ao 13º mês consecutivo no Ceará. Em setembro deste ano, o Estado registrou 222 mortes, ante 332 em igual mês de 2015, uma diminuição de 33,1% no número de vítimas.

O menor índice dos últimos quatro anos havia sido no mês de junho de 2016, quando foram contabilizados 249 CVLIs, conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O último mês de setembro foi o período menos violento dos últimos seis anos, estando atrás apenas do nono mês de 2010, quando o Estado registrou 208 mortes.

Com mais esse mês de redução, o Estado chegou a 13 seguidos apresentando números menores comparados ao período do mês anterior. No acumulado de 2016, 2.511 pessoas já foram assassinadas no Estado. De janeiro a setembro de 2015, o número era de 2.965, o que significa uma queda de 15,3%.

O governador Camilo Santana, ao apresentar os resultados do mês, destacou que é preciso permanecer com as ações em andamento. “Esse trabalho tem que ser permanente e toda hora monitorado. Tivemos um dos melhores meses dos últimos seis anos. São 13 seguidos de queda de homicídios no Ceará. Isso é um trabalho árduo e um desafio muito grande”, avaliou.

Capital

Fortaleza continua se destacando na diminuição de CVLIs. Em setembro deste ano, a Capital conseguiu reduzir o número de mortes em mais da metade. Conforme os dados, 57 pessoas foram assassinadas em setembro deste ano, enquanto 134 haviam sido mortas em igual período de 2015, uma queda de 57,5%, conforme a SSPDS.

De janeiro a setembro de 2016, a queda da quantidade de vítimas é de 39,8%, em comparação a igual período de 2015. De janeiro a setembro do ano passado, o Estado contabilizou 1.239 vítimas, enquanto neste ano foram 746 mortes.

O governador Camilo Santana ressaltou que houve diminuição dos CVLIs também nas outras regiões do Ceará na comparação entre os meses de setembro de 2015 e 2016. Santana destacou, ainda, a participação do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) que vem sendo deslocado para atuar no Interior.

“Isso foi importante. Nós estamos com ação de implementação da interiorização do Raio. Implementamos recentemente em Iguatu, Russas, Quixadá e Itapipoca. Ainda vamos terminar esse ano, em Tauá e Canindé. É um compromisso que assumimos no meu governo. A partir do próximo ano, nós vamos focar em regiões que estão com os maiores problemas e ter um BRRaio específico para cada região dessas”, prometeu o chefe do executivo estadual.

No último mês, a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) registrou 52 CVLIs, enquanto em igual período de 2015 foram 70 mortes com essas características, o que representa uma redução de 25,7%.

No Interior Norte, a queda foi de 17,5%, saindo de 57 mortes no mês de 2015 para 47 em 2016. Já no Interior Sul, a taxa caiu em 7%, de 71 mortes no mês de 2015 para 66 em 2016.

Apesar de apresentar recuo nas mortes, algumas regiões ainda preocupam o Estado no acumulado do ano. A RMF apresenta um aumento de mortes em 5,1%, com 594 vítimas entre janeiro e setembro de 2016, enquanto em 2015 morreram 565 pessoas em igual período. No Interior Sul, o aumento é de 4,4%, passando de 665 para 694.

Além da Capital, a única região que apresentou melhora no acumulado do ano, até o mês passado, foi o Interior Norte. Em 2015, o número de homicídios, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios na região era de 496 até setembro. Em 2016, o número caiu em 3,8%, para 477.

Homenagem

Antes de apresentar o balanço mensal de CVLIs, o Governo do Estado homenageou, em solenidade ocorrida na sede da SSPDS, em Fortaleza, 125 militares cearenses que integraram a Força Nacional nos megaeventos esportivos Olimpíadas e Paralimpíadas Rio-2016, na cidade do Rio de Janeiro. O governador Camilo Santana pessoalmente entregou um certificado individual aos militares, pelo trabalho realizado e por terem representado o Ceará nas competições.

O tenente-coronel PM Aginaldo Oliveira relatou que atuou em papel de destaque junto com a tropa de policiais cearenses. Ex-comandante do Batalhão de Policiamento de Eventos do Ceará, o militar foi recrutado para comandar o efetivo policial responsável pela segurança na área da Barra da Tijuca, com mais de 3.600 homens.

“Nós não registramos nenhuma ocorrência de relevância que comprometesse a segurança dos Jogos. A região da Barra da Tijuca, a qual eu estava comandando, abarcava quase que 70% de todos os Jogos Olímpicos. A experiência e a satisfação que nós trazemos é do dever cumprido”, exaltou o oficial PM.

tabela

Diário do Nordeste