Ubajara Notícias

Bando resgata presos da Delegacia Geral

A quadrilha formada por duas mulheres e três homens invadiu o prédio, após render o porteiro e o policial plantonista, na tarde de ontem ( FOTO: JOSÉ LEOMAR )

Sete presos foram resgatados do prédio da Delegacia Geral da Polícia Civil, no Centro, na tarde de ontem. De acordo com uma fonte da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que preferiu não se identificar, pelo menos cinco pessoas participaram da ação. Conforme o servidor da Pasta, o policial que estava de plantão no local não portava arma e foi rendido pelos criminosos.

Uma mulher teria chegado primeiro ao prédio com uma sacola pedindo para entregar água a um dos presos. O porteiro, que não é policial, se aproximou para dizer que não podia receber alimentação e acabou sendo rendido pelas pessoas que davam apoio a ela. O bando entrou na Delegacia Geral e conseguiu libertar os sete detentos.

Foram resgatados Fábio Sousa da Silva, Elias Pinheiro Francisco, Rafael Augusto dos Santos, Anderson Santos da Costa, Leonardo do Nascimento Ferreira, José Nagibe de Sousa Santos e Rômulo Firmino de Sousa.

Anderson Costa estava preso por ter rendido uma inspetora da Delegacia Metropolitana de Itaitinga (DMI) e resgatado três dos onze detentos que estavam nas carceragens do órgão, na manhã do dia 21 de setembro.

Vulnerável

Segundo o investigador que conversou com a reportagem, os criminosos fugiram em um automóvel Volkswagen, modelo Parati, e em outro carro que não foi identificado. “Não sei por que os outros presos não fugiram. O prédio ficou totalmente vulnerável com a entrada das pessoas que fizeram o resgate. Não tem condição nenhuma de apenas uma pessoa fazer a segurança de todo esse prédio”, declarou.

O coronel Lauro Carlos de Araújo Prado, secretário adjunto da SSPDS, disse que todo policial civil tem um arma acautelada em seu nome e será averiguado o motivo pelo qual o permanente estava desarmado.

Lauro Prado afirmou, também, que geralmente fica apenas um policial no local, porque os efetivos maiores ficam nas delegacias que estão de plantão nos fins de semana. Segundo o oficial da PM, o delegado geral, Andrade Júnior, esteve no prédio em que se deu o resgate logo após o fato para tomar as primeiras providências.

Algumas viaturas da PM foram acionadas para diligenciar em busca dos criminosos que fugiram. Até o momento, nenhum foi recapturado.

DN