Ubajara Notícias

Análise: boa atuação dá esperança à torcida, mas Corinthians cai na tabela

Era importante ao Corinthians não perder para o Atlético-MG, um senhor adversário, naquele que foi o primeiro jogo após a criação do G-6 no Brasileiro. Sem clima com a torcida, levando cada vez menos gente a Itaquera, o Timão respondeu com uma grande atuação, quase vencendo o Galo. A arbitragem, ao anular gol de Gustavo, foi decisiva para o placar de 0 a 0. O saldo emocional, porém, foi positivo: dá para jogar um futebol que leve o time à Libertadores.

Campinho Corinthians x Atlético-MG (Foto: GloboEsporte.com)
Corinthians no tradicional 4-1-4-1: Yago deixou o jogo após 30 minutos por lesão (Foto: GloboEsporte.com)

Sem Romero, na seleção do Paraguai, Gustavo ganhou nova chance no ataque e teve uma de suas melhores atuações. Bom na bola aérea, o pivô foi bastante acionado. Ao todo, a equipe levantou 20 bolas, contra seis do Atlético-MG. Ele carece ainda de um melhor domínio de bola.

Logo no primeiro minuto, o camisa 9 quase abriu o placar em cabeçada, após levantamento de Rodriguinho.

Bastante desfalcado, o Atlético-MG se dispôs no 4-4-2 (ou 4-2-4) com Clayton e Hyuri abertos na segunda linha de quatro e Robinho e Fred jogando mais por dentro. Melhor do Galo nos primeiros 45 minutos, Robinho finalizou três vezes e ainda deixou Hyuri duas vezes na cara do gol: na primeira, Walter fez grande defesa. Na segunda, ele errou o chute de forma bizarra.

Na sequência, Marquinhos Gabriel cruzou para a área, e Gustavo marcou de cabeça. O árbitro Rodolpho Toski Marques, porém, anulou o lance por considerar falta do centroavante no zagueiro Gabriel. Decisão questionada pelos jogadores do Timão após o jogo.

Aos 35 minutos, Fábio Carille inverteu os pontas, e Marquinhos Gabriel rendeu melhor pela esquerda nos minutos finais, com Marlone na direita. Em mais uma jogada de lado, o meia cruzou e Rodriguinho quase marcou. Nesse meio tempo, Clayton exigiu nova defesa de Walter.

O segundo tempo veio com o Corinthians ainda melhor. Nos primeiros 15 minutos, Marlone e Rodriguinho tiveram mais oportunidades. Para tentar abrir o time e ganhar jogadas de fundo, Carille trocou Marlone por Rildo. E, mais para o fim, apostou em Lucca na vaga de Léo Príncipe,quando Leandro Donizete já havia recebido cartão vermelho e deixado seu time com 10.

Com um a mais por cerca de 15 minutos, o Timão seguiu mandando na partida, ficou com 55% de posse de bola, mas não aproveitou as chances (foram 19 finalizações durante o jogo). Alvo de 16 faltas, teve chances em bolas centrais, mas nem Giovanni Augusto nem Marquinhos Gabriel chegaram perto do gol nas cobranças. Ponto que há tempos é falho no time alvinegro.

O resultado derrubou o Timão para oitavo, com 42 pontos. Até domingo, a equipe pode cair mais uma posição caso o Botafogo vença o Figueirense fora de casa. A tabela e o bom futebol apresentado, porém, trazem alguma esperança. O Timão encara o Santa Cruz em Cuiabá na próxima quarta-feira e depois recebe o lanterna América-MG no domingo. Se realmente quiser dar uma volta por cima, terá de ser esse o momento da virada.

Globo Esporte