Ubajara Notícias

Ferracini terá fábrica de calçados na Bahia, Empresário João Filho esclarece sobre Ubajara

Rui Costa e dirigentes do Grupo Ferracini assinaram o protocolo de intenções na Governadoria - Foto: Amandda Oliveira | GOVBA
Rui Costa e dirigentes do Grupo Ferracini assinaram o protocolo de intenções na Governadoria

O segmento de calçados e componentes deve ser responsável por 1.450 novos empregos diretos na Bahia. A previsão é que deste total, 300 novas vagas sejam criadas a partir da instalação de uma fábrica do Grupo Ferracini no município de Amargosa, no centro-sul baiano.

As tratativas entre o governo estadual e a empresa – uma das principais marcas de calçados masculinos do Brasil –  foram formalizadas ontem, na Governadoria, com a assinatura de um protocolo de intenções pelo governador Rui Costa, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda, e representantes da empresa. O acordo prevê um investimento da Ferracini de R$ 12 milhões na região, estimulando o crescimento econômico e o desenvolvimento social.

“É um investimento importante porque vai conseguir resgatar uma série de trabalhadores que, com a crise, perderam o emprego. O governo do estado tem feito um esforço grande para trazer empresas para esse setor, que já emprega cerca de 27 mil pessoas na Bahia”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Jorge Hereda.

O investimento total no setor de calçados em território baiano deve chegar a R$ 19,5 milhões, levando em conta o protocolo firmado ontem  e os já assinados com as marcas Ferracini, Susana Santos e Nádia Talina. As duas últimas vão instalar fábrica em Itapetinga e ampliar negócios em Serrinha, respectivamente.

Galpão

A nova unidade será a primeira fábrica da Ferracini no Nordeste e deve ser instalada em um galpão utilizado no passado por outra empresa de calçados. Segundo o diretor industrial da empresa, Carlos Antônio Oliveira, a escolha da Bahia foi estratégica para os negócios.

Segundo o gestor, os incentivos fiscais oferecidos pelo governo baiano, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico  bem como a concessão de uso remunerado dos galpões existentes em Amargosa, são interessantes, quando levados em conta com a facilitação da logística de distribuição das mercadorias.

“Já havíamos cogitado outros estados do Nordeste, mas a Bahia é um dos mais próximos da nossa sede em Franca, no interior de São Paulo. São cerca de 1,5 mil quilômetros de distância. É muito mais vantajoso do que outros lugares, com dois mil ou mais quilômetros de distância. Além disso, o governo baiano nos dá condições adequadas de produção com galpões já instalados em um município culturalmente preparado para o mercado calçadista”, explica Oliveira.

Fundada em 1984 na cidade de Franca, no interior de São Paulo, a Ferracini possui atualmente dois mil empregados distribuídos em três fábricas, estando presente em mais da metade do território brasileiro com sua marca através de oito mil pontos de venda. Tradicional indústria no mercado calçadista brasileiro, a empresa produz diariamente cerca de 9.200 itens, entre calçados e acessórios vendidos no Brasil e exportados para mais de 40 países.

Outros protocolos

De janeiro a setembro de 2016, o governo do estado assinou 76 protocolos de intenção, com investimentos da ordem de R$ 7,2 bilhões e a criação de 7,8 mil empregos.

Deste total, 51 empresas serão implantadas e 25 ampliadas. O interior baiano será contemplado com 70% dos protocolos, que representam um investimento de R$ 6,1 bilhões e uma geração de 4,7 mil empregos.

Fonte: A Tarde

Confira a nota do empresário João Ribeiro em seu perfil social: