Ubajara Notícias

Equipe faz buscas em sítio onde Rakelly foi morta

A equipe de investigadores retornou ontem ao local com o objetivo de localizar o saco plástico em que a menina teria sido transportada ( Foto: Natinho Rodrigues )

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), militares do Corpo de Bombeiros e um representante da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) voltaram, ontem, ao sítio em que a menina Rakelly Matias Alves, 8, foi morta pelo caseiro José Leonardo Vasconcelos Gracindo, o “Zé”, 33. O objetivo era coletar novas evidências da cena do crime.

Os policiais chegaram à propriedade, localizada no distrito de Gereraú, em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), por volta de 10h30 e foram direto à cacimba em que Rakelly foi encontrada. A área em volta precisou ser isolada devido à presença de curiosos.

O Corpo de Bombeiros realizou a descida na cacimba e conseguiu encontrar um saco plástico e uma fita. O material teria sido usado para transportar o corpo da vítima. “Decidimos fazer essa busca para encontrar esse saco e confirmar a versão dada pelo ‘Zé'”, apontou a titular da DHPP, Socorro Portela.

A perícia preliminar, realizada no local, identificou a presença de cabelo humano dentro do saco. O material passará por análise laboratorial para verificar a presença do DNA da vítima, do acusado e de possíveis outros participantes do crime.

“Vamos aguardar os laudos periciais e ouvir algumas testemunhas. A esposa e o filho (do Zé) vão ser novamente reinquiridos. O irmão do suspeito vai ser ouvido na cidade de Sobral”, revelou a delegada, acrescentando que há a possibilidade de realizar a reconstituição do homicídio nos próximos dias.

Destruição

O sítio onde o caseiro morava foi depredado e saqueado pela população revoltada após o corpo da menina Rakelly Alves ter sido encontrado. “Nós estamos tentando identificar as pessoas que fizeram essa depredação e saquearam os objetos dessa residência. Depois de identificados, vão ser responsabilizados”, disse Socorro Portela.

A Escola de Ensino Fundamental Francisco Sales Filho, no distrito de Jabuti, organizou, na manhã de ontem, uma missa em homenagem à Rakelly Alves, que estudava no 2º ano do Ensino Fundamental I. A professora de Rakelly, Damiana Oliveira, afirmou que estava tentando reunir forças para a volta às aulas, programada para hoje.

“Eu fiquei em estado de choque quando soube do desaparecimento dela, não consegui nem dar aula. E quando ela apareceu, foi pior ainda. A Rakelly era uma aluna esperta, atenciosa, gostava muito de ajudar”, contou.

Diário do Nordeste