Dupla suspeita de ataque tem liberdade restituída

Foram realizadas ontem as primeiras audiências de custódia em Fortaleza referentes aos ataques orquestrados pelas facções criminosas desde o dia 2. Foram apreciados os casos de quatro pessoas presas em 3 de janeiro. Antônio Igor Gomes da Silva, 22, e Diego da Costa Silva, 23, tiveram liberdade restituída mediante adoção de medidas cautelares, pois foram autuados apenas por dano contra o patrimônio público. O crime, por ter pena máxima de três anos, não prevê prisão preventiva. Eles foram presos em flagrante por danificar a golpes de picareta um fotossensor da avenida Leste-Oeste, no bairro Moura Brasil.

 

Já o caso de Renan Kleverson Deodato de Sousa, 18, e Marcelo Lucas de Freitas Cavalcante, 18, não teve decisão revelada, com processo correndo em segredo de Justiça. Eles foram presos em flagrante, junto a um adolescente de 14 anos, ao danificar fotossensor na BR-116, em Messejana. Ao todo, no dia 3, foram presas sete pessoas e apreendidos quatro adolescentes, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

 

Por ter mandado de prisão em aberto, Antônio Igor não será posto em liberdade. Ele, quando posto em liberdade, e Diego não serão monitorados por tornozeleira eletrônica, por terem afirmado morar na rua. As medidas cautelares que terão de cumprir por oito meses incluem tratamento contra a drogadição, no Centro de Referência sobre Drogas do Ceará (CRD), e comparecimento mensal ao Complexo da Coordenadoria de Inclusão Social do Preso e do Egresso (Cispe).

 

O POVO procurou o Ministério Público do Estado (MPCE) para saber o parecer do órgão a respeito do caso, mas foi informado, via assessoria, que os promotores não estão concedendo entrevistas sobre a série de atentados. Ainda ontem, o MPCE lançou nota informando ter havido reunião com a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) com o objetivo de “traçar estratégias para combater de forma efetiva a onda de criminalidade que atingiu o Estado”.

 

Está prevista para hoje a realização da audiência de custódia dos outros três presos ainda no dia 3. Tiago Pereira de Almeida, 20, Lucivânia Vasconcelos Ferreira, 32, e Ademilton Ramom Martins Santos, 19, foram autuados por crimes previstos na Lei da Organização Criminosa.

 

Conforme balanço divulgado pela SSPDS na tarde de ontem, 185 pessoas já haviam sido detidas suspeitas de participação nos ataques, sendo 156 adultos presos e 29 adolescentes apreendidos. (Lucas Barbosa)

 

Reforços 

 

Desembarcam em Fortaleza mais reforços da Força Nacional, que farão o total de 300 profissionais cedidos pelo Governo Federal chegar a 500 atuando no Estado. Somando Pernambuco, Piauí e Santa Catarina, chegam 43 policiais e agentes de inteligência. A Bahia foi o primeiro estado a dar suporte à SSPDS, enviando 100 policiais militares do Batalhão de Choque ainda na sexta-feira, 4. O Ceará viveu ontem o 7º dia de ataques.