Reveillon de Jericoacoara pode ser cancelado por decisão da Justiça

Uma das festas de reveillon mais badaladas e mais caras do país corre o risco de ser cancelada por decisão da Justiça. De acordo com Ação de Tutela de Urgência, assinada pelo juiz plantonista de Sobral, Paulo Santiago de Andrade Silva e Castro, os organizadores do Reveillon Jericoacoara 2019 John John Rocks são acusados de invadir propriedade privada e derrubar árvores para realizar o evento festivo.

Além disso, não há autorização do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

“A magnitude do evento possibilita, com base empírica, dimensionar a repercussão no meio ambiente local e a consequente legítima preocupação de o autor se prevenir de responsabilização futura pelo que não fez”, descreve o mandado de intimação.

Por conta disso, a empresa J.J. Serviço de Eventos Ltda, com sede no município de Cruz, terá que apresentar toda a documentação no prazo de 24 horas, caso contrário terá que pagar R$ 10 mil reais por dia de descumprimento – o documento foi assinado no último dia 23 de dezembro.

Entre as atrações anunciadas para o evento estão: Anitta, Vintage Culture, Goldfish, entre outros (veja banner de divulgação abaixo).

O OUTRO LADO

A organização do Reveillon John John Rocks Jeri 2019 informa que todos os procedimentos para a realização do evento obedeceram as normas e procedimentos legais exigidos pelos órgãos de fiscalização responsáveis, visando minimizar os impactos negativos e proporcionando um legado socioambiental positivo à comunidade local.

A escolha do local onde serão realizadas as festas foi feita em parceria com o município e devidamente assinada por ambas as partes, assim como as autorizações da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Toda a documentação exigida está disponível e será apresentada, conforme solicitado pela justiça.