Preso suspeito de ligação com facção, homem levava vida de luxo na Beira Mar

A prisão de Marcos André Silva Ferreira, 24, conhecido como Dedé ou Branquinho, revelou à Polícia Civil a ligação do homem com a cúpula de uma das maiores facções cearense. O suspeito vivia em condomínio de luxo na Beira Mar e, no local, os agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) encontraram uma procuração assinada por Auricélio Sousa Freitas, 35, conhecido como Celinho da Babilônia, um dos mandantes da Chacina do Forró do Gago.
Segundo as investigações, Dedé levava vida de luxo: cursava direito em faculdade particular de Fortaleza, viajava com frequência e tinha carros de luxo. Com ele, a Polícia apreendeu um Corolla, um HB-20, além de uma Hilux. De acordo com o delegado adjunto da Draco, Klever Farias, Branquinho nega envolvimento com organizações criminosas e não soube explicar a procuração em nome de Celinho da Babilônia.
Delegado titular da Draco, Harley Filho explicou que os agentes ainda não têm conclusão sobre o papel de Dedé na facção. Segundo ele, o suspeito atuava como atravessador ou responsável pelo consórcio. No primeiro caso, ele recebia para distribuir a droga no Estado. Já no segundo, ele teria o papel de trazer quantidades de entorpecentes previamente negociadas.
Mais informações em instantes