Guaraciaba do Norte pagou empresas que venderam certificados de melhor gestor até para jumento

(Foto: Instituto Tiradentes)

Empresas denunciadas por vender certificados e medalhas de “melhor gestor” constam nos pagamentos das contas do Estado do Ceará desde pelo menos 2007. Neste ano, Guaraciaba do Norte, mais 13 municípios cearenses efetuaram pagamentos ao Instituto Tiradentes e/ou à União Brasileira de Divulgação (UBD), investigadas pelo Ministério Público por fraude.

O esquema foi revelado no último domingo, 5, em reportagem do programa Fantástico, da TV Globo. Na matéria, foi efetuada compra de certificado de “gestor nota 10” para um jumento, classificado na pesquisa nacional de utilidade pública entre os “100 melhores prefeitos do Brasil”.

As empresas são suspeitas de realizar juntas até 20 premiações falsas por ano, conforme apurado pelo Fantástico. Os certificados e medalhas são entregues após “pesquisas interativas junto às redes sociais, órgãos governamentais e casos colhidos junto à população”. O lucro obtido por meio dos eventos de premiação realizados contando investimento cearense só neste ano soma R$ 22.987.

A UBD convoca gestores para participarem da “competição”. No site da empresa, 54 municípios cearenses são citados como “classificados” para a premiação. Em maio, 14 prefeituras realizaram pagamentos ao Instituto Tiradentes e à UBD referente a inscrições no 126º Seminário Brasileiro de Prefeitos, Vice Prefeitos, Vereadores, Procuradores Juridicos, Controladores Internos, Secretários e Assessores Municipais, que ocorreu nos dias 17 e 18 de maio em Recife (PE). No evento, foram entregues premiações aos referidos “gestores nota 10”.

Confira lista dos pagamentos

Guaraciaba do Norte: R$ 1.274 ao Instituto Tiradentes e R$ 640 à UBD para a inscrição do prefeito Antonio Adail Machado Castro e do vereador Kleyton Damasceno Aragão.

Iguatu: R$ 3.185 ao Instituto Tiradentes para a inscrição do secretário de infraestrutura Francisco Tácido Santos Cavalcanti, da secretária de educação Elizangela Gomes Medeiros e do prefeito Ednaldo de Lavor Couras. Outras duas notas fiscais que não discriminam o nome da pessoa inscrita também constam nos registros.

Ocara: R$ 1.911 ao Instituto Tiradentes para a inscrição dos vereadores Raimundo Filho da Silva e Francisco Jacinto Gomes da Silva e da secretária da saúde Maria Cremilda Sousa Silva.

Crato: R$ 1.911 ao Instituto Tiradentes para a inscrição dos vereadores Roberto Pereira Anastácio, José Nilton Brasil e Antônio Adil Sampaio

Horizonte: R$ 1.911 ao Instituto Tiradentes pela inscrição de três vereadores que não têm nomes citados nas notas fiscais.

Juazeiro do Norte: R$ 1.274 ao Instituto Tiradentes para inscrição do vereador presidente Gledson Bezerra e da vereadora Jacqueline Gouveia.

Pacoti: R$ 637 ao Instituto Tiradentes. A nota fiscal não discrimina para quem é a inscrição.

Fortim: R$ 637 ao Instituto Tiradentes e R$ 2.570 à UBD pela inscrição do prefeito Naselmo de Sousa Ferreira.

Canindé: R$ 637 ao Instituto Tiradentes. A nota fiscal não discrimina para quem é a inscrição.

Coreaú: R$ 1.980,00 à UBD. Na nota, diz-se que o dinheiro é destinado à inscrição “do município” no seminário.

Tauá: R$ 1.480,00 à UBD para inscrição da secretária de educação Aria Gertudes Gonçalves de Oliveira Mota.

Jijoca de Jericoacoara: R$ 980 à UBD para a inscrição do prefeito Lindbergh Martins.

Aracoiaba: R$ 980 à UBD. A nota cita o secretário de educação Francisco Emílio Campelo Freitas, mas não diz se a inscrição é para ele.

Tabuleiro do Norte: R$ 980 à UBD. A nota fiscal não discrimina para quem é a inscrição.

O Povo