Monsenhor Tarcísio Melo, 3 anos de vida eterna e mais um feriado transferido

ed9cb268-ead8-498c-a0f8-8cdfd468706a

Nesta quarta-feira (11), faz 3 anos que o Monsenhor Francisco Tarcísio Melo partiu para a vida eterna. O sacerdote passou quase 8 meses em coma em Fortaleza quando faleceu em abril de 2015.

Um feriado foi criado em Ubajara em homenagem ao Monsenhor, no entanto, desde de 2017, o novo prefeito Renê Vasconcelos muda a data que seria reservada para prestar tributo. Neste ano o feriado foi transferido para sábado (14).

Nosso tributo ao grande homem que contribuiu para o desenvolvimento de nossa cidade em todos os âmbitos.

Neste 11 de abril, ao fazer memória do terceiro ano da páscoa eterna do nosso inesquecível Monsenhor Francisco Tarcísio Melo, quero com saudoso afeto, registrar a vida deste grande sacerdote. Podemos dizer com firmeza: Ele nos amou de forma incondicional, deu a sua vida pela Igreja, sobretudo pelo povo ubajarense. Como não ser grato?

Incontáveis foram os ensinamentos que nos transmitiu ao longo de sua vida, pensando sempre no bem comum e no crescimento humano e espiritual de cada um de nós. Vem a memória dois pensamentos que sempre nos dizia: “A vida é muito grande para ser insignificante” e “Difícil não é ser alguém, difícil é ser quem a gente é”.

De fato, Monsenhor Tarcísio não se permitiu a uma vida insignificante, tampouco viveu de caricaturas para agradar a um ou a outro. Sacerdote e Homem de uma nobreza inconfundível, manifestada no seu caráter firme e ilibado. Seu imenso coração, parecia que pulsava não somente no peito, mas na cabeça, nas atitudes, nas celebrações e na vida social do nosso povo.

No dia 17 de março de 2017, foi aprovada a Lei Nº 1156/2017, que instituiu o FERIADO DO DIA 11 DE ABRIL, EM HOMENAGEM AO MONSENHOR TARCÍSIO. Quem conhecia o Monsenhor, sabia que uma de suas características marcantes era nunca ser visto pelo bem que fazia, não se sentia a vontade em ser evidenciado, mas também não era de sua índole transgredir, ou, que outrem transgredisse uma lei, seja esta religiosa ou civil.

Fica-nos a triste sensação de que GRANDES PROFETAS, ao morrerem, caem no grau do ESQUECIMENTO, pois foram 55 anos dedicados a Ubajara. Recordando o São João em seu Evangelho, quando nos lembra a fidelidade de Jesus Cristo, o Sumo e Eterno Sacerdote: “Tendo amado os seus, amou-os até o fim.” (Jo 13,1)

Na Memória dos Santos Estanislau, Gema Galgani e a Beata Helena Guera.
Ubajara, 11 de Abril de 2018
Alexandre Rodrigues Parente