Moradores de bairro em Fortaleza seguem deixando casas após ameaças de facção

Moradores foram ameaçados e precisaram sair de casa em bairro de Fortaleza (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)
Moradores foram ameaçados e precisaram sair de casa em bairro de Fortaleza (Foto: Reprodução/TV Verdes Mares)

Moradores da comunidade da Babilônia, em Fortaleza, seguem deixando suas casas nesta sexta-feira (5), após pichações com ameaças serem gravadas nos muros de diversas ruas do Bairro Barroso nesta semana. A Polícia Militar reforçou a segurança no local, prendeu três pessoas e apreendeu duas armas de fogo na noite de quinta-feira (4).

Na quarta-feira (3), imagens mostrando as pichações e caminhões com móveis das famílias que se mudavam da Rua São Cipriano e entorno ganharam as redes sociais. Nas fotos, aparecem policiais fazendo a segurança durante a mudança.

Uma equipe da TV Verdes Mares percorreu a comunidade nesta manhã e flagrou o momento em que mais uma família colocava os móveis em um caminhão de mudança. Parte dos comércios do bairro ficaram fechados. Os moradores não quiserem dar entrevista por medo de represálias.

Parte das pichações foram apagadas, mas ainda há mensagens em alguns muros, com dizeres como “Tem que sair. Fora das travessas si não vai morrer” e “Tem que sair fora vcs pq si não nois vai toca fogo em tudo”.

A equipe da Polícia Militar que realizava rondas durante a manhã desta sexta-feira na comunidade não quis comentar sobre a situação no local.

Três presos

Suspeitos foram presos com armas e drogas (Foto: SSPDS/Divulgação)
Suspeitos foram presos com armas e drogas (Foto: SSPDS/Divulgação)

Uma mulher e dois homens foram presos suspeitos de realizar pichações com ameaças a moradores da rua São Cipriano, no Barroso. O trio foi capturado com uma pistola, um rifle e drogas no Bairro Passaré. Um dos presos já tinha passagens na polícia pelos crimes de roubo e tentativa de homicídio.

Os presos foram encaminhados para o 13º Distrito policial, onde foram autuados por porte ilegal de arma, tráfico e associação para o tráfico de drogas.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as investigações acerca das pichações com ameaças seguem até que todos os envolvidos sejam identificados e capturados.

G1